quinta-feira, 29 de setembro de 2011







O desenvolvimento para W. Winnicott não é linear e sim em espiral. Sua progressão é quase sempre seguida de uma regressão temporária que não é patológica, mas que, ao contrário, proporciona um local de descanso, uma volta à base do lar.







O amadurecimento não é sinônimo de progresso; amadurecer inclui a possibilidade de regredir a cada vez que a vida exige descanso, em momentos de sobrecarga e tensão, ou para retomar pontos perdidos. Isto se deve ao fato de que nenhuma conquista fornece título ou garantia tendo sido alcançada de novo. Por isso em uma pessoa de qualquer idade, pode-se encontrar todos os tipos de necessidades, das mais primitivas as mais tardias.




Livro: Natureza humana/Donald W. Winnicott

Muito obrigada a todos que visitam este blog

Visualizações de página do mês passado
2.414

Histórico de todas as visualizações de página
42.485

3 comentários:

  1. A verdadeira amizade mora no
    coração independente de distancia.
    E seguem juntos pela vida inteira.
    Enfim a amizade é um sentimento
    muito além do amor.
    È através da minha fé
    e da sua amizade.
    Que encontro forças para seguir sempre
    com esperança e alegria de viver.
    Um abençoado final de semana.
    Beijos ternos e carinhosos.
    Evanir

    ResponderExcluir
  2. Suas postagens fazem refletir e sempre acrescentam algo de bom ao coração e à alma de todos que por aqui passam...
    Parabéns querida Eliete, por esse cantinho abençoado!
    Bom final de semana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eliete lindo este fragmento..... acho que sempre quis elaborar em palavras esse sentimento e agora encontro aqui em seu blog. Quanta coisa cabe em uma alma? estou maravilhado com a clareza cristalina do autor. Gostaria muito de fazer uma nota no facebook e marcar os amigos mais chegados... mas farei somente com a sua permissão. Abraços poéticos para um feliz fim de semana!

    ResponderExcluir

Apontadora de Idéias

Minha foto
São Paulo, Brazil
"A senhora me desculpe, mas no momento não tenho muita certeza. Quer dizer, eu sei quem eu era quando acordei hoje de manhã, mas já mudei uma porção de vezes desde que isso aconteceu. (...) Receio que não possa me explicar, Dona Lagarta, porque é justamente aí que está o problema. Posso explicar uma porção de coisas... Mas não posso explicar a mim mesma." (Lewis Carroll)

Arquivo do blog